sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Post altamente parvo!

Eu, como qualquer outra pessoa, ansiava pela felicidade tipo chá…plena! Já tinha o meu rico pescoço dorido de tanto que olhava de um lado para o outro a ver se a via a dobrar a esquina com uma placa na mão com o meu nome escrito, aguardava por ela como uma criança aguarda pela noite de natal. Como é que é possível queremos tanto uma coisa que não sabemos muito bem o que é e se realmente existe? Estamos tão sedentos que esquecemos de tudo o resto, inclusive de viver a vida como o chá, em pleno?

Agora que já estou com 3 a 0 no campeonato da vida (uma maneira menos dolorosa que arranjei de dizer que já tenho 30) apercebo-me que essas merdas não existem, que a culpa do mulherio nunca se sentir completamente feliz é das novelas, dos filmes, do Nicolas Sparkes que nos fazem acreditar que essas cenas melosas e lamechas podem acontecer a qualquer um com a melhor banda sonora de todos os tempo...Bullshit! E pior, fazem-nos elevar as expectativas para patamares tão altos que a única coisa que encontramos são outras iguais a nós, ou seja, à espera do mesmo! Quantas de nós não terão deitado fora grandes oportunidades porque determinada pessoa ou situação não correspondia às nossas expectativas?

O aproximar dos 3 a 0 tornaram-me mais céptica, mais realista ou mais fria (normal, estamos no inverno!)! E às vezes dou por mim a pensar (às vezes dá-me para isso): Quem me garante que quem escreve estas histórias de amor e felicidade forever and ever não passam de uns ou umas infelizes e frustradas e que essas histórias não passam de meros desejos ou sonhos que gostariam de ver realizados nas suas próprias vidas?

Esta última foi forte!

Com o passar, à velocidade da luz, dos anos apercebo-me que essa cena de amor a primeira vista e felicidade plena, não existem! Aprendi que devemos a relativizar a felicidade e diminuir a busca, outrora incessante, pelo grande love of my life. O que tiver de ser  e quando tiver de ser...será! Não quer dizer que tenha que ser algo em grande para me aperceber que talvez esteja perante aquilo que tanto procurei.  Acho que a partir de determinado momento todos nós nos apercebemos que a verdadeira felicidade está nos pequenos momentos, nas pequenas coisas, nas pessoas que realmente importaram e que estão ali, tão perto! Até naquelas cenas parvas, que muitas vezes não damos importância nenhuma, mas sem elas o nosso dia não seria o mesmo. 

Exemplos?
Descalçar uns sapatos que estão a torturar o nosso pezinho...aquela sensação de alívio, estão a ver? Isso é felicidade!
O enroscar-me no sofá a ver uma porcaria qualquer enquanto chove lá fora...isso é felicidade!
Uma amiga que aparece lá em casa sem aviso prévio só para saber como estamos...isso é felicidade e amor!
O sentir a água quente a bater nas costas ao fim de um dia duro de trabalho...isso, para além de maravilhoso, é felicidade!
O termos alguém que te dá uma abraço sem lhe pedires...isso é felicidade e quem sabe amor!
O estar com a família a ver fotos e a rir das nossas figura...isso é o amor barrado com felicidade!

Eu sei que para tudo na vida, há excepções e ainda bem!

P.S.: Eu avisei que este post era parvo! 

7 comentários:

  1. Porque é que achas que o meu blog se chama "amendoins e coca-cola"? As pequenas coisas é que nos fazem felizes!
    Sê o teu próprio amor da tua vida! (pessoas comprometidas são muito mais apelativas, por isso até pode ser que apareça a tal personagem saída de um romance fatela)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem sabe, a vida às vezes prega cada partida!Enquanto isso vou comendo amendoins e bebo coca-cola!

      Eliminar
  2. Texto ALTAMENTE bom e verdadeiro. Agora sim atingiste a realidade.
    A sério...essas leituras , as novelas, os big brothers...são mto lixo. Mesmo. Se conseguirem olhar sem vos influenciar...ainda vá... (blhéeee, loll).
    Gostei do texto. Bjocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um momento de parvoíce pura mas verdadeira :)

      Eliminar
  3. A felicidade do reencontro com a nossa sanita...ou comer um donette!!
    O teu texto diz tudo...muito bem escrito...e sim...como compreendo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O encontro com a sanita também consegue atingir picos de felicidade muito altos :)

      Eliminar